Imagem capa - Novas tecnologias. por Geraldo Neto
NovidadesDicas

Novas tecnologias.


Como investidor de risco, sou procurado diariamente para apresentações de novas ideias e possíveis negócios. Alguns empreendedores que me procuram apresentam uma boa experiência, mas a grande maioria são muito jovens. Idealista, mas sem base e sem experiência. O que dizer para esse jovens?

Procuro mostrar um caminho em que devem testar sua ideia numa pequena escala, num mercado “beta” vamos assim dizer. Mais não um beta teste convencional, mas sim uma versão teste com o modelo de negócio operando de forma real, faturando. Assim, o empreendedor poderá analisar se:

1- O seu produto ou serviço tem aceitação do mercado.

2- Seu preço está sendo aceito pelo mercado.

3- A sua proposta de valor foi entendida.

4- Atendeu a alguma necessidade do mercado.

5- Sua tecnologia está ajustada.

6- Sua logística está ajustada.

7- Se há feedback

8- Quais os problemas gerados com a operação funcionando.

9- Que estrutura necessita para crescer e escalar seu serviço ou produto.

10- Quanto necessita de recursos para escalar.

De forma geral esse jovens, vem com a ideia de que necessitam de dinheiro para fazer tudo isso. Quando converso um pouco e lhes mostro os pontos do seu modelo negócio, que não estão testados ou mesmo fora de foco, ficam sem ação e presos à crença da necessidade financeira.

Ainda há pouca vontade em aprender e inovar.

Os exemplos no mercado como Facebook e Grupon, mostram um pouco como foi o começo de algo, que hoje é um grande sucesso, mas começou sem dinheiro algum. Somente depois de testarem a ideia e provarem o “valor da ideia” é que receberam dinheiro.

No começo o dinheiro vem da família, de sua própria poupança, de amigos que apóiam, mas principalmente de sua persistência e trabalho.

Somente após essa passagem, que a ideia deve começar a ser vista por qualquer investidor sério.

Vamos lá pessoal, não desistam da ideias, mas trabalhem antes mostrar e pedir dinheiro, para não queimar etapas.

Qualquer dúvida, se puder ajudar…

Abraço,

Geraldo Neto